sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Bibliologia - A formação do Cânon

Quero me desculpar por não ter postado as aulas anteriores, mas estou de volta com a bibliologia de forma simples e prática.

Existem 4 efeitos da inspiração divina sobre a Bíblia quando aceitamos a sua inspiração :

1. Deus se revela na Bíblia.
2. A Bíblia forma uma unidade completa.
3. A Bíblia permite o encontro entre Deus e a pessoa.
4. A inerrância na Bíblia se evidencia.

A Bíblia tem características da revelação de Deus e sua inspiração. É impossível alguém seguir uma religião sem ter um Canon sagrado que identifique a inspiração divina.

A comunidade cristã foi expressando sua fé na adoção de determinados escritos como sagrados. Essas listas, em grego, denominavam-se Kânon.

A palavra Kanon quer dizer regra, medida... a formação do Canon cristão são os livros reconhecidos pela comunidade cristã como inspirados por Deus. Na bibliografia grega, temos a idéia de “regra, norma, padrão”.

Canonização é o ato de processar os livros de forma normativa para servir como regra, ou seja, a Bíblia é a nossa regra de fé. Canônicos são os livros aceitos pela comunidade cristã que possui características da inspiração divina e fidedignas para a formação da vida cristã.

Os livros tem critérios para ser aceitos a sua canonicidade. A igreja apenas reconheceu o que já estava conhecido, ela não concluiu nenhum livro e nem acrescentou partes neles.

Pense bem: Se a igreja tivesse acrescentado algo, ela também teria retirado algumas passagens que poderia ser um problema para ela.

Ex: Se Pedro é considerado o primeiro papa – A igreja teria retirado a passagem que ele negou Jesus.

Este é apenas um ponto para pensar sobre os ataques as Escrituras Sagradas.

Vamos ver alguns critérios para canonicidade sobre os livros do Antigo Testamento.

1. Os autores sagrados registraram, de forma escrita, as revelações e mensagens que recebiam da parte de Deus, para que servissem de orientação aos seus descendentes (Êx 17.14; Nm 33;22; At 7.38 em diante).

2. O reconhecimento pelos rabinos judeus da época de que os escritos eram inspirados por Deus. Na realidade, a Igreja canonizou o que já estava canonizado.

3. Para a igreja primitiva determinar a canonicidade de um livro ele teria de ter sido escrito por um homem de Deus, ser autêntico, teria de conter a virtude que transformasse vidas, ser lido e aceito pelos rabinos.

4. A confirmação pelo Espírito Santo, produzindo fé e obediência à Palavra de Deus.

Na próxima semana vamos conhecer a diferença entre os Cânons.

Um comentário:

Vanessa Raphaella disse...

Que alegria descobrir seu blog!

Reflexões inteligentes acerca das Escrituras, e das questões sociais!

Vou mergulhar na leitura de suas postagens!

Deus o abençoe!!!